O vice-presidente do Brasil escreveu na segunda-feira uma carta a Dilma Rousseff, revelada pela imprensa, em que cita episódios que demonstram a “desconfiança” da Presidente relativamente ao seu número dois e ao partido da coligação governamental PMDB.

Numa altura em que está em curso um processo de impugnação contra a Presidente do Brasil, Michel Temer queixa-se de ter sido tratado como um “vice-presidente decorativo”, “secundário” e “acessório” ao longo do primeiro mandato de Rousseff (2010-2014).

“Sempre tive ciência da absoluta desconfiança da senhora e do seu entorno em relação a mim e ao PMDB [Partido do Movimento Democrático Nacional]. Desconfiança incompatível com o que fizemos para manter o apoio pessoal e partidário ao seu governo”, diz Temer na “carta pessoal” que qualifica como “um desabafo” que já deveria ter sido feito “há muito tempo”, a qual é reproduzida na íntegra pelo portal de informação G1.