As buscas por Diana Quer, uma jovem madrilena de 18 anos desaparecida há duas semanas, quando passava férias com a irmã e a mãe, em A Pobra do Caramiñal, norte de Espanha, passaram fronteiras. A descrição e fotografias da jovem começaram a ser distribuídas em Portugal.

De acordo com a imprensa espanhola, a associação SOS Desaparecidos prepara também ações semelhantes em Itália, França, Bélgica e Suíça. A escolha destes países prende-se apenas com a disponibilidade de meios e de voluntários da associação.

Diana passava férias com a mãe e a irmã naquela estância balnear espanhola quando desapareceu, sem deixar rasto, a 22 de agosto. As autoridades espanholas têm levado a cabo buscas nas redondezas do local onde a jovem foi vista pela última vez. Nas operações, têm participado também dezenas de voluntários.

De acordo com o El Mundo, está prevista, para os próximos dias, uma reconstituição dos últimos movimentos da jovem. A Guardia Civil tenta assim responder a uma série de incógnitas que ainda se mantêm, nomeadamente acerca das últimas pessoas com quem esteve ou que a viram.

A polícia pondera rever os testemunhos das amigas da jovem, com quem esteve numa festa até às 02:30 da manhã do dia em que desapareceu, bem como os testemunhos da família e de pessoas que asseguram tê-la visto horas depois do momento em que abandonou a festa.

De acordo com o advogado de Diana López-Pinhel, a mãe da jovem, a Guardia Civil visitou a mulher este sábado, mas tratou-se de uma “visita rotineira” para a manter informada e saber sobre o seu estado de ânimo. Nessa visita não se levou a cabo qualquer interrogatório.