O número de mortos no Nepal após o sismo que abalou o país, esta terça-feira, já subiu para 76 e o número de feridos para 1.986, segundo o porta-voz do governo Laxmi Prasad Dhakal, citado pela CNN. Além das vítimas mortais confirmadas no Nepal, 17 pessoas morreram na Índia e uma no Tibete, o que significa que, no total, o abalo provocou 94 mortos.

Ainda assim, dezenas de pessoas foram resgatadas com vida, de acordo com as autoridades. Uma informação que é apoiada pelos testemunhos dos utilizadores das redes sociais.
 
O Nepal, que ainda não recuperou do terramoto que causou mais de oito mil mortos há cerca de duas semanas, vê-se agora a braços com uma nova tragédia. 

Muitos dos edifícios que ficaram danificados depois do primeiro terramoto acabaram por colapsar esta terça-feira.

As regiões que tinham sido mais afetadas a 25 de abril acabaram por ser novamente as mais devastadas.

No distrito de Dolakha, por exemplo, foram registados 56 dos 76 mortos já confirmados. Além disso, metade das casas tinha ruído com o primeiro sismo e, na terça-feira, a grande maioria que tinha conseguido resistir acabou por colapsar. Agora, há apenas 5% das habitações que existiam . 
   
Foi também em Dolakha que um helicóptero norte-americano com seis marines e dois nepaleses a bordo desapareceu na terça-feira. O grupo prestava apoio às vítimas do sismo de 25 de abril.

As buscas continuam, quer por via área quer terrestre, mas para já, ainda não foram encontrados sinais do aparelho.

Já na capital, Katmandu, onde prédios e templos históricos foram arrasados pelo sismo de abril, também são visíveis os efeitos deste novo abalo.

Com receio de novas réplicas, muitos optaram por dormir em tendas, em espaços abertos da cidade. Muitos outros, que viram as suas casas destruídas, não tiveram outra alternativa.