Pelo menos duas das nove carruagens terão ficado completamente destruídas na sequência do descarrilamento de um comboio na Galiza, que já fez pelo menos 78 mortos e 140 feridos. O repórter da TVI no local relata que as autoridades procuram ainda corpos nestes destroços.

As investigações no local e as operações de busca estão a ser «complicadas» admitem as autoridades, segundo o El Mundo, uma vez que o acesso a algumas zonas é difícil dada amálgama de destroços.

Os maquinistas que nas declarações feitas momentos depois do acidente admitiram ir em excesso de velocidade, ainda não foram ouvidos pelo juiz local, uma vez que as autoridades já declararam que o mais importante neste momento é identificar as vítimas.

O jornal «La Voz de Galicia» informa que no local, estão perto de 500 agentes da Polícia Nacional, entre investigadores, polícia científica e patrulhas.