A ETA já entregou à polícia francesa as referências de geolocalização de vários depósitos secretos de armas que estão todos situados no departamento 64 de França, nos Pirenéus Atlânticos.

LEIA TAMBÉM: Governo espanhol acusa ETA de fazer operação mediática para "dissimular derrota"

Vários órgãos de comunicação social franceses e espanhóis citam que a informação foi dada por “fontes da luta antiterrorista” que não afastaram totalmente a possibilidade de a organização basca ainda ter depósitos de armas escondidos.

A ETA, que até agora tinha recusado o seu desarmamento e dissolução, anunciou no passado dia 17 de março que iria proceder este sábado, 8 de abril, ao seu desarmamento “total e sem condições”, organizando uma cerimónia em Bayonne, cidade francesa na fronteira com Espanha, para assinalar o ato.

Os autodenominados “mediadores” do desarmamento da ETA indicaram hoje em Bayonne que entregaram as “coordenadas de oito lugares” onde se encontram 120 armas de fogo, três toneladas de explosivos e vários milhares de munições e detonadores.

Os “mediadores” deram essas localizações ao Comité Internacional de Verificação (CIV), segundo informaram Mixel Behorcoirigoin e Michel Tubiana numa conferência de imprensa citada pela agência EFE.

Tubiana indicou que “não se limitaram a levar a cabo esse procedimento”, mas também enviaram a 172 “observadores” aos lugares onde estão os depósitos da ETA para “comprovar que são as autoridades francesas que irão tomar posse” dos arsenais.

A Comissão Internacional de Verificação, uma organização independente, já confirmou que a ETA entregou às autoridades francesas a localização dos locais ainda com armas.

A organização separatista basca “forneceu às autoridades francesas uma lista com os esconderijos das armas”, disse numa conferência de imprensa o coordenador da CIV, Ram Manikkalingam.

Os autodenominados “mediadores” do desarmamento da ETA revelaram as coordenadas de onde se encontram 120 armas de fogo, três toneladas de explosivos e vários milhares de munições e detonadores.

O executivo de Madrid disse na sexta-feira que "não espera nada" desta cerimónia, assegurando também que a organização separatista basca "não terá nenhum benefício político".

Já o ministro francês da Administração Interna, Matthias Fekl, considerou hoje, em declarações à imprensa em Paris sem perguntas, que a entrega “unilateral” da localização de oito depósitos de armas por parte da ETA é “um grande passo”.

“Esta etapa de neutralização de um arsenal de armas e explosivos é um grande passo” e um “dia, sem dúvida, importante”, afirmou Matthias Fekl, citado pela agência AFP.

O responsável governamental francês revelou que elementos das forças de segurança francesas, seguindo a orientação da Justiça, trabalham desde as 09:00 (08:00 de Lisboa) de hoje nessas oito localizações na região dos Pirenéus Atlânticos.

Criada em 1959, durante a ditadura franquista, a ETA renunciou à luta armada em 2011, depois de mais de 40 anos de violência em nome da independência do País Basco e de Navarra.