O líder da Nova Democracia, principal partido de oposição na Grécia, vai ser recebido, na sexta-feira de manhã, pelo Presidente do país, Prokopis Pavlopoulos, numa reunião onde vai ser convidado a formar Governo. A informação é veiculada pela agência Reuters, que cita uma fonte oficial do partido.

No rescaldo da demissão do primeiro-ministro grego Alexis Tsipras, Evangelos Meimarakis, anunciou esta quinta-feira à noite que vai "explorar todas as vias" para evitar o avanço das eleições antecipadas na Grécia. 
 

"Vamos explorar todas as vias para que as eleições sejam a última opção e não a primeira, como Alexis Tsipras quer", disse o líder da Nova Democracia em conferência de imprensa. Meimarakis apontou que irá aproveitar os três dias previstos na Constituição para procurar apoios entre os partidos da oposição e formar ele próprio um governo. A Nova Democracia registou 27,81% dos votos nas últimas eleições, elegendo 76 deputados.

 
De acordo com a Constituição grega, em caso de demissão ou queda do Governo, o Presidente da República tem de explorar as possibilidades de solução de Governo dentro do quadro parlamentar vigente, devendo consultar o segundo partido mais votado, no caso o Nova Democracia, que dispõe de três dias para responder. Se no fim do prazo não houver um governo, o mandato é devolvido ao Presidente que o deve entregar ao segundo maior partido da oposição, no caso a extrema-direta.

A Nova Democracia irá assim tentar durante o fim-de-semana obter alguma forma de apoio para tentar avançar com um governo minoritário na Grécia, o que o colocará sempre em situação bastante complicada porque o Syriza detém 149 dos 300 lugares do Parlamento.



Caso a Nova Democracia não consiga formar um governo nos próximos três dias, então será dada igual oportunidade ao segundo partido da oposição, atualmente da extrema-direita pois a Aurora Dourada foi a terceira força política mais votada em Janeiro. Meimarakis apontou igualmente que a Aurora Dourada (6,28%) está entre os partidos com que falará para tentar formar governo, além do To Potami (novo partido pró-europeu) e do PASOK (socialistas).

Ou seja, a Nova Democracia e a Aurora Dourada ainda terão uma oportunidade de formar governo. Mas, como não têm maioria, será pouco provável que o consigam e, se assim for, o Presidente grego deverá então convocar as eleições antecipadas.