O líder do principal partido da oposição grega, Antonis Samaras, demitiu-se este domingo, na sequência da vitória expressiva do "Não" no referendo da Grécia.

Samaras fez campanha pelo "Sim" na consulta popular, defendendo que a Grécia tinha de aceitar as propostas dos parceiros para reforçar a sua posição no plano europeu. Contudo, a maioria dos eleitores gregos teve uma opinião diferente, com cerca de 60% a rejeitar o programa proposto pelos credores, num resultado que pode ser interpretado como uma vitória para o executivo de Alexis Tsipras.

De acordo com o jornal "The Guardian", há sinais de que vários membros da Nova Democracia votaram no "Não", contra o apelo do líder do partido.

A antiga ministra das Finanças Dora Bakoyannis terá sido um dos membros dos conservadores a pedir a demissão imediata de Samaras, segundo noticia a imprensa helénica.