De acordo com um estudo publicado na revista Science, e citado pela AFP, o glaciar entrou num processo de derretimento acelerado em 2012, tendo triplicado o ritmo de desintegração a uma velocidade de cinco mil milhões de toneladas por ano.

Jeremie Mouginot, investigador do Departamento de Ciências do Sistema Terrestre da Universidade da Califórnia, explicou o fenómeno:

"O topo do glaciar está a derreter como resultado de décadas de constante aumento das temperaturas do ar, enquanto a parte de baixo é comprometida pelas correntes que transportam a água mais quente do oceano. O glaciar está agora a desintegrar-se em icebergues que levarão ao aumento do nível do mar durante as próximas décadas”.

No entanto, as más notícias não ficam por aqui. Os especialistas lembram que o “Nioghalvfjerdsfjorden”, um outro glaciar próximo do "Zachariae Isstrom", também está a derreter, embora a um ritmo mais lento.

 

Se os dois glaciares, que compõem 12 por cento do gelo da Gronelândia colapsarem, o nível médio as águas do mar poderá aumentar em mais de 1 metro.