A Austrália vai abater mais de 1600 cangurus na capital, Camberra, porque os animais comem demasiada relva. A iniciativa tem sido adiada, devido aos protestos dos defensores dos animais, mas não irá ser cancelada, escreve o «The Independent».

Os cangurus adultos costumam ser abatidos por atiradores, mas os bebés são normalmente mortos com uma pancada na cabeça.

Este ano, as condições atmosféricas foram «amigas» dos cangurus, que se reproduziram em força na capital da Austrália. A região tem a maior densidade de marsupiais de todo o país: 500 por cada quilómetro.

Apesar de serem habitualmente inofensivos, o facto de serem grandes e puderem chegar aos dois metros de altura, assusta os residentes. Passam a maior parte do tempo a saltitar de parque em parque, a comer relva e nem os campos de golfe escapam à sua fome.

As autoridades alegam que esta iniciativa é essencial para controlar a população de cangurus em Camberra. Além de destruírem o seu próprio habitat, também estão a ameaçar a sobrevivência de outras espécies. Como consomem quantidades elevadas de relva, outros animais ficam sem alimento e abrigo.

O Governo também está a estudar outras medidas como, por exemplo, a contraceção. Os grupos de defesa dos direitos dos animais consideram que essa seria a forma «mais humana, eficaz e barata» de controlar a espécie. Há investigadores a estudar vacinas para impedirem a procriação durante três estações, mas estas ainda não foram testadas.

A iniciativa foi suspensa por ordem de um tribunal, após uma queixa apresentada pelos grupos defensores dos direitos humanos, mas ainda esta semana deverá ser conhecida uma decisão final sobre o assunto.