Um deputado britânico está a ser criticado, pelo seu partido e oposição, depois de ter publicado um «tweet» considerado irresponsável, e que, alegadamente, apela à violência na Faixa de Gaza.

O democrata liberal David Ward escreveu, esta terça-feira, na sua conta do Twitter: «A grande questão é: se eu vivesse em Gaza disparava um rocket [contra Israel]? Provavelmente sim».





Numa entrevista à «BBC Radio», Ward explicou que condena ambos os lados do conflito [Israel e Gaza], e que apenas tentou entender os motivos de que levam alguém que mora em Gaza a disparar contra Israel. O democrata diz que os palestinianos sentem-se abandonados pelo ocidente, e ao viverem num enclave, disparar contra Israel funciona como uma ação de desespero.

«Porque haveriam eles de disparar se sabem que os mísseis vão resultar em mais palestinianos mortos, a um nível desproporcional? Fazem-no porque estão desesperados, porque os políticos do Ocidente estão a falhar. As pessoas em Gaza não podem fugir, eu percebo as razões de quem dispara os rockets», disse.

Sobre o Tweet, Ward explicou que o que estava a dizer era, que se estivesse lá, «se vivesse ano após ano cercado por uma força militar superior que está a matar brutalmente os meus compatriotas, e o mundo não faz nada, teria de fazer alguma coisa».

O deputado reconheceu, da mesma forma, que Israel tem o «direito de se defender»

Segundo a AFP, Ward, que já tinha sido suspenso, em julho de 2013, por comentários anteriores sobre Israel, viu as suas palavras condenadas pelo vice-primeiro-ministro Nick Clegg, que já garantiu que as declarações terão consequências para o deputado.

«Condenamos em absoluto os comentários de David Ward, que não representam os Democratas Liberais. O partido leva este assunto muito a sério e vai tratá-lo como uma questão disciplinar», disse Clegg num comunicado.

Também o líder do partido Conservador, Grant Shapps, condenou as palavras de Ward afirmando que «nenhum deputado deve escrever o que é basicamente um apelo à violência. É completamente irresponsável».

Entretanto, segundo informações da BBC, Ward já pediu desculpa pela publicação polémica e garante que o seu comentário não pretendia incitar à violência contra Israel.

«Os meus comentáros não apoiam o lançamento de rockets contra Israel. Se dei essa impressão, peço desculpa», escreveu num comunicado emitido pelo partido.

À luz do pedido de desculpas, os democratas liberais já afirmaram que ainda vão decidir se avançarão com medidas disciplinares contra o deputado.

Os comentários de Ward chegam depois do apelo de cessar-fogo por parte do líder das Nacções Unidas, Ban Ki-moon.

Mais de 600 palestinianos e 30 israelitas foram mortos nos últimos 14 dias, desde que Israel lançou a ofensiva de resposta contra os rockets disparados por Gaza.