A Polícia Federal brasileira deduziu acusação sobre 63 pessoas suspeitas de estarem implicadas no escândalo da carne adulterada que, em março passado, impôs fortes restrições às exportações do país, informou este domingo aquela força de segurança.

As denúncias foram assinadas pelo comissário Mauricio Morcardi Grillo e agora a Procuradoria deverá manifestar-se sobre o assunto, no prazo de cinco dias, como adianta a agência espanhola de notícias EFE.

Os acusados respondem pelos crimes de tráfico de influências, corrupção, uso de processo proibido ou de substâncias não permitidas, falsidade, associação criminosa e peculato, entre outros, acrescentou a Polícia.

O escândalo do mês de março motivou a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) a fazer várias inspeções. A ASAE não encontrou nenhum problema nos lotes importados por Portugal.