A polícia angolana anunciou esta quinta-feira que está no encalço de três suspeitos do homicídio de um cidadão português ocorrido durante o assalto à sua residência, nos arredores de Luanda, a 20 de abril.

A informação foi avançada à agência Lusa por fonte do Serviço de Investigação Criminal (SIC) de Luanda, adiantando que a polícia está a seguir "algumas pistas" para chegar aos suspeitos, em fuga.

O crime terá sido perpetrado na sequência de um assalto à residência do português António Guerra, de 56 anos, no bairro dos Pescadores, em Cacuaco, Luanda.

Provavelmente por ter reagido ao assalto, o português, natural de Cascais e residente em Angola pelo menos desde 2012, foi morto com violência, tendo os assaltantes levado alguns equipamentos eletrónicos, como telemóveis, ‘tablets', entre outros.

A polícia angolana anunciou também que já identificou dois suspeitos do homicídio de um casal português, que aconteceu igualmente em abril, em Luanda.

Sem adiantar mais pormenores, por o caso estar em investigação, fonte do SIC explicou que a polícia já está no encalço de duas pessoas suspeitas deste homicídio, ocorrido numa via rápida da capital angolana.

O crime deu-se quando o casal seguia na sua viatura, na estrada Luanda-Viana, com o filho, tendo sido surpreendidos por homens encapuzados que atiraram contra os mesmos.

O filho saiu ileso, o pai morreu no local e a mãe acabou por falecer numa unidade hospitalar da cidade, onde foi socorrida.

Durante a ação nada foi roubado, pelo que a polícia suspeita de um ajuste de contas.