Dos Estados Unidos chega a história cruel da pequena Victoria Martens, que está a chocar os norte-americanos, em especial os habitantes da cidade de Albuquerque, no estado do Novo México. Victoria tinha acabado de fazer 10 anos, celebrados na passada terça-feira, quando foi brutalmente morta por familiares.

A polícia de Albuquerque identificou os suspeitos deste crime como sendo a mãe da menina, Michelle Martens, o seu namorado, Fabian Gonzales, e a prima deste, Jessica Kelley.

De acordo com o relatório policial a que a CNN teve acesso, os agentes depararam-se com o cadáver de Victoria depois de terem sido alertados para eventuais distúrbios que estariam a ocorrer numa casa. Ali chegados, e ainda antes de descobrirem o corpo da menina, encontraram dois dos suspeitos com ferimentos ligeiros - Michelle tinha uma ferida na cabeça e Fabian um olho roxo, e intercetaram uma terceira suspeita quando tentava fugir pela varanda.

Quando a polícia entrou no local do crime, deparou-se com um cenário que os agentes apelidaram de “horrível”. A menina estava parcialmente queimada, dentro de uma banheira, depois de os suspeitos a terem enrolado numa manta e lhe terem ateado fogo.

Segundo o relatório, algumas partes do corpo de Victoria foram mutiladas e a causa da morte estará relacionada com uma violação, levada a cabo por Fabian Gonzales, depois de drogar a enteada, segundo acusou a mãe.

O padrasto nega qualquer envolvimento na morte de Victoria, afirmando que foi a sua prima Kelley quem mutilou a menor.

De acordo com a polícia, os suspeitos têm um longo passado criminal associado ao tráfico de droga. Jessica Kelley tinha saído recentemente da prisão e estava a viver em casa de Martens.

Michelle Martens e Fabian Gonzales foram acusados, na quinta-feira, do crime de rapto e abuso de criança, bem como de assassinato. Kelley, que está hospitalizada, também será acusada dos mesmos crimes.

A família e amigos da vítima prestaram-lhe uma última homenagem, numa vigília organizada na quinta-feira.