Mais de dez mil crianças migrantes não acompanhadas desapareceram na Europa nos últimos dois anos, estima a Europol, agência de polícia europeia, que teme que muitas delas sejam exploradas, incluindo sexualmente, pelo crime organizado.

Os números, que foram divulgados na Internet pelo semanário britânico The Observer e confirmados à AFP pelo gabinete de imprensa da Europol.

De acordo com Brian Donald, diretor da Europol citado pelo The Observer, os números divulgados respeitam a crianças a quem se perdeu o rasto após o seu registo pelas autoridades europeias. Cerca de metade delas desapareceu em Itália.


“Não é exagerado dizer que estamos a procurar mais de 10.000 crianças", disse Brian Donald, segundo a AFP. No entanto, “não significa que todos estejam nas mãos de criminosos. Alguns podem ter sido entregues a familiares. Nós só não sabemos com quem estão nem onde estão”.


A Europol estima que 27% dos migrantes que entraram na Europa, em 2015, sejam crianças.  “Com ou sem papéis, estamos a falar de cerca de 270 mil crianças”.