Um menino de sete anos, de Greenville, no estado norte-americano da Pensilvania, era agredido com violência e deixado à fome pela mãe e pelos avós. A criança foi resgatada pelas autoridades, depois de uma mulher que passeava o cão perto da casa onde a criança vivia ter avistado aquilo que apelidou de «esqueleto humano».

«Ele parecia uma vítima do Holocausto», descreveu um responsável da polícia ao «Pittsburgh Tribune-Review».

«Foi espancado com um cinto cada vez que tentou comer. Tinha três abcessos nos dentes e pesava 11 quilos quando foi levado para o hospital. A fome a que foi sujeito podia tê-lo morto», acrescentou.

A criança foi resgatada a 06 de junho, mas só agora a história foi tornada pública. A polícia prendeu a mãe, de 28 anos e os avós de 58 e 47 anos. De acordo com a acusação, mãe e avós passaram a manter a criança em cativeiro depois de o retirarem da escola. Ocasionalmente, dar-lhe-iam pedaços de atum, enquanto alimentavam normalmente as duas irmãs e o irmão mais velho.

A criança alimentar-se-ia de insetos que encontrava em casa.

Os três suspeitos foram libertados mediante o pagamento de uma caução, cujo valor não foi revelado, e serão presentes a tribunal no próximo dia 30 de julho.