Federico García Villegas, um menino colombiano de oito anos, decidiu no passado mês de novembro gravar um vídeo onde explica como é viver com Síndrome de Asperger. A gravação foi partilhada no Facebook e já teve mais de 7,8 milhões de visualizações. 

Ter Asperger não é uma doença. Não sou louco, nem freak, nem esquisito. Só que a minha maneira de receber e processar a informação é diferente”, começou por explicar Frederico no vídeo. 

 

 

Sou uma criança como qualquer outra, com sonhos e esperanças. Só quero que me conheçam, me percebam e me ajudem a integrar na comunidade (...) Os nossos sentidos são mais agudos. Eu ouço todos os sons ao mesmo tempo. Por isso às vezes fico em choque e sinto-me sobrecarregado. Se queres que saiba algo, diz-me com as tuas palavras. Não entendo muito bem a linguagem não-verbal", acrescentou a criança. 

A mãe do menino, Andrea Villegas, responsável pela página do Facebook "Soy diferente, soy como tú" (Sou diferente, sou como tu) - uma plataforma de apoio para pais com crianças com Asperger - tinha como ideia inicial partilhar o vídeo no Facebook e no YouTube, para que apenas os 20 colegas de turma do filho pudessem ver e conhecer um pouco mais sobre esta condição. 

O Federico sentia necessidade de se explicar, porque se sentia incompreendido pelos seus colegas de escola (...) Primeiro escreveu um conto, e a partir daí decidi abrir um perfil nas redes sociais para falar de uma condição que é muito pouco conhecida”, contou Andrea Villegas ao El País por telefone.

O vídeo acabou por ter um alcance internacional, graças à publicação de uma chilena, Pamela Zavala, cujo marido e três filhos sofrem da mesma síndrome. Pamela, depois de ver a gravação de Federico, decidiu partilhá-la na sua conta de Facebook e, desde então, o vídeo teve mais de 7,8 milhões de visualizações e 280 mil partilhas. 

Mostrei o vídeo ao meu filho de 10 anos e, pela primeira vez, ele viu-se refletido noutra pessoa. Há falta de tolerância e empatia com as pessoas com Asperger (...) Asperger não é uma doença", contou Pamela também ao El País. 

Andrea Villegas, mãe de Federico, referiu que tentou explicar ao filho o impacto do seu vídeo. 

“Tentei dizer-lhe que foi ouvido por mais pessoas do que o total de habitantes de nossa cidade (Cali) e mostrei-lhe algumas mensagens. Mas não tenho certeza se entendeu a magnitude do que conseguiu”, contou Andrea. 

A Síndrome de Asperger é uma perturbação psiquiátrica, caracterizada por dificuldades na interação social e na comunicação não-verbal. Integra o grupo de doenças do espetro do autismo, que envolvem problemas na comunicação e relacionamento social. As crianças com esta síndrome apresentam dificuldades no relacionamento com terceiros e interessam-se particularmente por matérias muito específicas.

Em Portugal estima-se que existam cerca de 40 mil portadores desta síndrome.