Não é a primeira vez que David Cameron cancela férias familiares pelo mesmo motivo. Para muitas pessoas, a oportunidade de desligar o telemóvel durante as férias é uma vantagem, mas para um primeiro-ministro pode não ser, sobretudo nos tempos conturbados que o mundo atravessa.

Numa entrevista ao jornal diário Western Morning News, David Cameron confessou que, quando está em Cornwall, sabe onde ir para encontrar rede e receber chamadas importantes, como as de Barack Obama.

No entanto, no decorrer dos conflitos emergentes nos últimos anos a fraca cobertura de rede em Cornwall, o local onde passa as férias, revelou a falta de resposta do primeiro-ministro britânico.

Em agosto de 2013, teve de interromper as férias devido à escalada de violência na Síria mas, em 2011, uma falha de rede impediu que fosse informado sobre a queda de Muammar Kaddafi na Líbia.

David Cameron considera que a tecnologia, ou falta dela, impede «primeiros-ministros de fazerem chamadas importantes». Por causa destas insuficiências, o governo britânico fez um investimento de 150 milhões de libras (cerca de 188 milhões de euros) para melhorar a cobertura de todas as operadoras móveis.

Segundo o primeiro-ministro britânico, «as comunidades rurais são tão prejudicadas por não estarem ligadas à banda larga, como se não tivessem acesso à rede rodoviária».

Para David Cameron, «tem-se trabalhado tanto online que hoje em dia é obrigatório estar ligado à rede».