O ministro dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, disse este sábado que o insulto do presidente norte-americano Donald Trump ao presidente norte-coreano Kim Jong-un, a quem chamou "rocket man", tornou “inevitável” um ataque com mísseis contra os Estados Unidos da América, noticia a agência Reuters.

Ri Yong Ho discursava na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, horas depois de o Pentágono ter anunciado que dois bombardeiros da Força Área dos EUA B-1B Lancer, escoltados por aviões de combate, voaram sobre águas internacionais a leste da Coreia do Norte.

Através de uma luta prolongada e árdua, estamos finalmente apenas a alguns passos de distância de nos tornarmos completamente uma nação com força nuclear", disse Ri Yong Ho, sublinhando que a Coreia do Norte "não precisa do reconhecimento de ninguém do seu estatuto de potência nuclear".

 

"É uma esperança vã considerar que a [Coreia do Norte] vá mudar um milímetro na sua posição seja através de sanções ou de força hostil", acrescentou.

 

Lançar mísseis sobre os EUA tornou-se inevitável”, rematou.

Ri Yong Ho chamou ao presidente norte-americano "uma pessoa mentalmente perturbada, cheia de megalomania e excesso de confiança", com o seu dedo no “botão nuclear”. E disse que as “palavras imprudentes e violentas" de Trump provocaram "a suprema dignidade" da Coreia do Norte e "contaminaram a sagrada arena das Nações Unidas”.

Mais ninguém, exceto o próprio Trump, está numa missão suicida”, afirmou. “No caso de se perderem vidas inocentes nos Estados Unidos por causa deste ataque suicida, Trump vai ser o responsável”, afirmou.

Ri Yong Ho acusou o Conselho de Segurança da ONU de ser "não democrático" e "injusto" com a Coreia do Norte, e de produzir "resoluções com padrões diferentes de legalidade", dependendo do país envolvido.

Continua assim a escalada de retórica entre os EUA e a Coreia do Norte, depois de Donald Trump ter chamado "homem foguetão" ("rocket man", numa alusão a uma canção de Elton John) ao líder norte-coreano. Um insulto a que Kim Jong-un respondeu num raro comunicado assinado, apelidando o inquilino da Casa Branca de "besta velha lunática".

Em apoio ao líder Kim Jong-un, milhares de norte-coreanos participaram, este sábado, numa manifestação antia-americana convocada pelo regime de Pyongyang, refere a agência estatal norte-coreana.

Guterres apela ao cumprimento de resoluções

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

De acordo com um comunicado do seu porta-voz, António Guterres, numa reunião este sábado com Ri Yong Ho, instou à redução das tensões na península coreana, pelas quais se manifestou preocupado, e apelou à implementação “total” das resoluções do órgão máximo de decisão da ONU.

O alto funcionário internacional insistiu perante Ri Yong Ho na “necessidade de uma solução política do conflito” e recordou a importância da assistência humanitária a quem necessite na Coreia do Norte.