Kim Jong-Un é o primeiro líder da Coreia do Norte a deslocar-se ao Sul após a Guerra Civil. Os presidentes das Coreias do Norte e do Sul cumprimentaram-se hoje com um aperto de mão na Zona Desmilitarizada entre os dois países que marca a fronteira no Paralelo 38, onde decorre a cimeira já classificada de "histórica" entre Kim Jong-un e Moon Jae-in.

Após o cumprimento, acompanhado por aplausos pelas comitivas dos dois líderes, Kim Jong-un recebeu um ramo de flores das mãos de duas crianças e seguiu, ao lado de Moon Jae-in, para uma guarda de honra.

O encontro histórico servirá para reforçar uma aproximação pacífica e discutir o programa nuclear.

Segundo a agência de notícias KCNA, Kim vai discutir “de coração aberto” com o presidente sul-coreano, Jae-in Moon, “todas as questões relacionadas com a melhoria das relações inter-coreanas e a realização da paz, prosperidade e reunificação da península coreana”.

Veja também: As reações do mundo à cimeira das Coreias

A Coreia do Sul também divulgou detalhes do encontro, que vai ser o terceiro inter-coreano a decorrer na vila fronteiriça de Panmunjom desde a guerra entre as duas Coreias, 1953.

Kim Jong-un saúda nova "era de paz"

No início da cimeira entre os líderes das duas Coreias, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, sentaram-se frente-a-frente numa mesa oval, cada um rodeado por dois assistentes, permitindo que o arranque das conversações fosse transmitido em direto pelas televisões.

Segundo a Agência France-Presse, antes de a cimeira ter início Kim Jong-un saudou o nascimento de uma nova era de paz.

Uma história nova começa agora – no ponto de partida da história e de uma era de paz”, escreveu o líder norte-coreano no livro de honra colocado nas instalações, no lado sul da fronteira, onde decorrem as conversações.

No arranque dos trabalhos, e segundo a Associated Press, Kim Jong-un disse a Moon Jae-in que não iria repetir o passado onde as duas partes se mostraram “incapazes de alcançar acordos”.

Kim Jong-un disponível para visitar Seul se for convidado 

O líder da Coreia do Norte mostrou-se hoje disponível para visitar o palácio presidencial do seu homólogo do Sul, em Seul, anunciaram as autoridades sul-coreanas.

A disponibilidade do líder norte-coreano surgiu, segundo fontes de Seul, citadas pela Associated Press, depois de Moon Jae-in ter sugerido a realização de mais cimeiras entre os dois líderes da península.

Segundo a mesma fonte, Kim Jong-un disse ainda ao seu homólogo que não voltaria a "interromper o seu sono matinal", numa alusão a testes de mísseis.

Depois de darem um aperto de mão por cima da linha que separa as duas Coreias, no paralelo 38, Kim Jong-un e Moon Jae-in seguiram para as instalações da cimeira, no lado sul da fronteira, onde iniciaram conversações.

A France-Press cita o diáologo ocorrido entre os dois líderes, referindo que Moon disse a Kim que poderia mostrar-lhe coisas bem melhores do que as visíveis das instalações onde decorre a cimeira, nomeadamente a Casa Azul, o palácio presidencial em Seul.

Irei à Casa Azul a qualquer momento se me convidar”, respondeu o líder da Coreia do Norte.

Líderes coreanos plantam árvore 

Antes do fim do primeiro encontro que mantiveram hoje no Paralelo 38, Kim Jong Un e Moon Jae-in usaram terra e água dos dois países para plantarem um pinheiro, como símbolo de paz.

Kim e Moon descerraram ainda uma placa com a inscrição “A Paz e a Prosperidade foram Plantadas” e que se encontra junto à árvore que assinala a cimeira.

O pinheiro transplantado data de 1953, o ano que marca o fim do armistício entre o sul e o norte.

A terra e a água utilizadas na cerimónia provêm de montanhas e de rios dos dois países tendo os dois líderes cruzado sozinhos uma ponte junto ao local.

O próximo encontro deve decorrer nas próximas horas, em Panmunjon, a linha que separa a Península da Coreia.

Seul congratula-se com diálogo "franco" 

As autoridades sul-coreanas já afirmaram que os líderes coreanos tiveram conversas "sinceras e francas" sobre a desnuclearização e que estão a trabalhar na redação do comunicado conjunto.

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, "tiveram um diálogo sincero e franco sobre a desnuclearização e o estabelecimento de uma paz permanente na península coreana, assim como sobre o desenvolvimento das relações intercoreanas", afirmou hoje, o porta-voz da presidência da Coreia do Sul, Yoon Young-chan, aos jornalistas.

Os dois líderes devem encontrar-se de novo esta sexta-feira à tarde, para novas reuniões, disse o porta-voz.

Yoon Young-chan declarou ainda que está a ser preparado um comunicado em conjunto a ser emitido depois das reuniões.