Um jovem muçulmano da Mauritânia julgado foi condenado à morte na quarta-feira depois de um tribunal, no noroeste do país, ter decidido que ele tinha escrito algo blasfemo, disse à AFP fonte judicial.

Mohamed Cheikh Ould Mohamed, com cerca de 30 anos, desmaiou quando a sentença foi lida no tribunal criminal de Nouadhibou, tendo sido reanimado e conduzido à prisão, afirmou a fonte sob anonimato.

Mohamed está detido desde 2 de janeiro e declarou-se inocente na abertura do julgamento na terça-feira.