Um grupo de congressistas democratas norte-americanos resolveu sentar-se no chão do Congresso, esta quarta-feira, e de lá erguer as vozes a favor do controlo de armas nos Estados Unidos. Um protesto que promete durar. 

John Lewis, democrata e ativista dos Direitos Humanos, discursou do chão da sala.

Durante meses, anos, várias sessões no Congresso pensei: ‘O que é que é preciso fazer para que este órgão se mexa? (…) Perdemos milhares de pessoas inocentes devido à violência com armas: crianças, bebés, estudantes e professores, mães e pais, irmãs e irmãos, filhas e filhos, amigos e vizinhos”, disse John Lewis.

 

 

Este protesto dos legisladores surgiu passados dias do massacre de Orlando, onde 49 pessoas morreram dentro de uma discoteca. Os democratas querem passar no congresso uma lei que proíbe a venda de armas a quem esteja na lista negra da aviação por suspeitas de terrorismo.

O protesto já recebeu o apoio de Barack Obama e Hillary Clinton no Twitter. O presidente dos Estados Unidos agradeceu ao congressista a tomada de posição em favor do controlo de armas.