Pelo menos 43 pessoas foram mortas desde a última noite em intensos combates no Iémen. Os confrontos opuseram apoiantes do presidente deposto do país, Abd-Rabbu Mansour Hadi, e combatentes Houthi, que controlam a Saná desde setembro. 

Em Áden, um grupo de homens armados avançou para o aeroporto da cidade, controlado pelos Houthi. Nas escaramuças morreram pelo menos 16 pessoas.

A norte da cidade, foram mortos 12 militantes Houthi, depois da aviação da coligação liderada pela Arábia Saudita ter lançado raides contra zonas controladas pelo grupo xiita, na zona de Bir Ahmed. 

Outra leva de ataques aéreos, lançados por Riade, mataram mais dez combatentes na província de Marib. 

Em Taiz, cinco civis apanhados no meio de combates entre fações rivais também foram mortos.

Estes confrontos acontecem antes das negociações que começam domingo em Genebra, patrocinadas pela ONU, para tentar alcançar a paz no país.

O conflito está a criar fortes tensões regionais. De um lado está uma coligação de nove estados árabes, liderada pela Arábia Saudita, que respondeu a um pedido de ajuda por parte de Abd-Rabbu Mansour Hadi, e do outro estão os Houthi, apoiados pelo Irão e forças leais ao antigo presidente Ali Abdullah Saleh.