O livro “Diamantes de Sangue: Tortura e corrupção em Angola”, do jornalista angolano Rafael Marques, vai ser publicado em Itália, apesar da sua condenação, em Angola, a seis meses de prisão com pena suspensa e à obrigatoriedade de retirar a publicação do mercado. 

“A editora Tinta da China não vai cancelar a publicação porque a decisão do juiz não tem jurisdição na Europa”, disse à Lusa a responsável pela Tinta da China, a editora que publicou o livro de Rafael Marques, em Portugal, em 2011.

Bárbara Bulhosa vai, de resto, propor a Rafael Marques para escrever um livro com “todos os acontecimentos” ocorridos desde a publicação de “Diamantes de Sangue” até à sentença decretada na quinta-feira em Luanda.

“O Processo” é o título que a editora pretende dar ao novo livro, caso o jornalista angolano Rafael Marques venha a aceitar a proposta.

A publicação em Itália já estava prevista desde o ano passado e vai ser lançado no mês de junho pela editora italiana Clandestine.

O tribunal provincial de Luanda condenou, na quinta-feira, Rafael Marques a seis meses de prisão com pena suspensa no processo de difamação sobre a violação dos direitos humanos na exploração diamantífera das Lundas, apesar de um acordo do jornalista com os generais queixosos.

A sentença prevê ainda a retirada do mercado o livro "Diamantes de Sangue: Tortura e Corrupção em Angola", incluindo a sua disponibilização na internet, bem como impede a sua reedição e tradução, num período de seis meses, findo o qual é levantada a suspensão de dois anos.

A defesa interpôs recurso. O advogado do jornalista considera a sentença "nula" por várias irregularidades.