O concurso Miss Mundo vai deixar de ter a icónica prova de biquíni, já com 63 anos de existência. A edição mundial de 2014, realizada em Londres no último dia 14, foi a última em que as candidatas desfilaram em biquíni.
 
Julia Morley herdou do marido, falecido em 2000, a organização do concurso Miss Mundo e tomou a decisão de acabar com a prova, de acordo com a ABC News. A medida pretende deixar para segundo plano certos atributos físicos em prol do empenho dos projetos sociais das candidatas.
 

«Não preciso de ver as mulheres a andar para cima e para baixo em biquínis. Não faz nada em prol das mulheres e não faz nada por nenhum de nós. Não me importa se uma mulher tem o rabo maior do que a outra, não estamos interessados em olhar para o seu rabo. Estamos interessados a ouvi-la falar», disse Morley numa entrevista a revista de moda «Elle».

 
O concurso Miss Mundo foi criado em 1951, em Londres, e a vencedora, a sueca Kiki Håkansson, foi coroada em biquíni. Até 1975, manteve-se a tradição e só em 1976 é que a vencedora, a jamaicana Cindy Breakspeare, foi coroada com uma roupa de gala.
 
Em 2001, a organização decidiu que a prova do biquíni não seria realizada em palco. As candidatas passaram a ser pontuadas à porta fechada e só apareciam imagens realizadas em praias e pontos turísticos dos países acolhedores da prova.
 
A prova recebeu o nome de «moda de praia» e realizou-se dessa forma todos os anos desde então, com exceção de 2013, cancelado para não ofender os muçulmanos na Indonésia, onde o concurso estava a ser realizado.
 

«A organização decidiu retirar a prova de biquíni porque não é esse o caminho que queremos seguir», explicou Chris Wilmer, o diretor nacional do concurso Miss Mundo na América e da Miss EUA, ao ABC News. «Não é apenas um concurso de beleza, é ‘beleza com um propósito’. A Miss Mundo deverá ser uma porta-voz que consegue ajudar a comunidade. É mais uma embaixadora e não uma rainha da beleza», acrescentou.

 
Em 1979, o concurso introduziu a prova «beleza com um propósito», em que as concorrentes participam em trabalhos de caridade. Os organizadores têm enfatizado esta prova como o verdadeiro objetivo do Miss Mundo, embora também tenha uma prova de moda, uma de talentos e uma de desportos.
 
Por isso, no próximo ano, já não haverá prova de biquíni. No entanto, as concorrentes ainda têm que ser solteiras e sem filhos, a fim de cumprir as orientações do concurso.