Uma cimeira entre o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e o Presidente chinês, Xi Jinping, teve início na manhã desta segunda-feira, em Pequim, depois de anos de animosidade entre os dois países por causa da territorialidade das ilhas Diaoyu para os chineses, Senkaku, para os japoneses.

«Foi o primeiro passo para melhorar os laços e para regressar a uma relação mutuamente benéfica baseada em interesses estratégicos comuns», disse Shinzo Abe aos jornalistas em Pequim.

A cimeira bilateral decorreu à margem do Fórum de cooperação económica da Ásia-Pacífico (APEC, na sigla em inglês).

«O encontro começou às 03:54 (hora de Lisboa)» num salão do Grande Palácio do Povo, em Pequim, informou a estação pública nipónica NHK.

O presidente chinês, Xi Jinping, exortou o Japão a «adotar prudentes políticas militares e de segurança», no primeiro encontro entre os líderes dos dois países em quase três anos.

«A China espera que o Japão continue a seguir a via do desenvolvimento pacífico e adote prudentes políticas militares e de segurança», disse Xi Jinping ao primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, segundo o relato da agência noticiosa oficial Xinhua.

Xi e Abe encontraram-se hoje em Pequim, à margem da Cimeira anual do fórum APEC (Cooperação Económica Asia-Pacifico), que decorre até terça-feira com a participação dos líderes de 21 países e regiões do anel do Pacifico.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse que a cimeira sino-japonesa com o Presidente chinês, Xi Jipping, foi o «primeiro passo» para melhorar as relações entre as duas maiores economias da Ásia, depois de anos de hostilidade.

O encontro durou cerca de 30 minutos e foi realizado em Pequim, à margem da cimeira de líderes da Ásia-Pacífico (APEC).