As Filipinas estão em alerta perante a intensificação e avanço do tufão Rammasun que irá atingir a capital, Manila, e que trará consigo a mais forte tempestade do ano para o país, escreve a agência Reuters.

Várias áreas costeiras na região oriental do arquipélago já foram evacuadas, os serviços de ferry suspensos e as escolas foram fechadas na principal ilha, Luzon.

Segundo o serviço metereológico «Tropical Storm Risk», o Rammasun é um tufão de nível um, numa escala de um a cinco onde o nível cinco é o mais forte, e espera-se que gere ventos muito fortes e uma elevada precipitação, com um volume acima dos 20 milímetros por hora. Esta é a primeira tempestade em quatro anos a atingir diretamente Manila.

Algumas localidades ainda estão a recuperar do tufão Haiyan, um dos maiores ciclones de sempre, desde que há registos, que matou mais de 6100 pessoas e deixou milhares desalojados, em novembro do ano passado.

O Rammasun vai passar pelas províncias de Leyte e Eastern Samar, províncias que foram atingidas pelo Hayian e onde muitos habitantes ainda vivem em tendas.

Albay também é uma das províncias que vai ser atingida e onde o governo já mandou a evacuação das áreas costeiras.

Mas apesar dos avisos, nesta região há quem recuse sair de casa e procurar refúgio num lugar mais seguro.

«Estamos preparados para o pior. Compramos comida extra e velas para qualquer emergências», afirmou Rosemarie Poblete, habitante da província de Albay, em declarações à «Reuters».

Esta terça-feira, mais escolas serão fechadas, muitas em Manila.

Segundo o porta-voz do governo, Herminio Colona, as medidas de precaução estão a ser intensificadas para evitar efeitos e consequências graves.