O Afeganistão corre o risco de se tornar um santuário para extremistas islâmicos, numa altura em que o Ocidente está a retirar as suas tropas e foca a sua atenção noutras partes do mundo, alertou um antigo agente da CIA.

O país pode até tornar-se um porto de abrigo para os jihadistas do Estado Islâmico que agora travam guerras na Síria e no Iraque, defendeu Robert Grenier, antigo diretor da estação da CIA em Islamabad e autor de um novo livro.

As suas memórias - «88 Days to Kandahar» - relatam a sua experiência durante as operações para derrubar o regime talibã no Afeganistão em 2001, depois dos ataques de 11 de setembro.