Uma chinesa que cuidava de idosos confessou em tribunal ter matado um paciente, para receber o seu salário mais cedo, num caso que admitiu ter-se repetido por sete vezes, avançou esta terça-feira a imprensa local.

He Tiandi, de 45 anos, foi a julgamento na semana passada na cidade de Guangzhou, sul da China, acusada do homicídio de uma mulher na casa dos 70 anos.

De acordo com a imprensa, a nora da vítima prometeu a He pagar o salário na íntegra, mesmo se a morte do paciente ocorresse antes de esta completar um mês de trabalho.