O diário chinês «Global Times» afirma, num editorial publicado na edição desta sexta-feira, que o Estado Islâmico matou três cidadãos da etnia uigur, oriundos da região autónoma de Xinjiang, no noroeste do país, que tentaram desertar do grupo jihadista.

A fonte do diário é um funcionário de segurança curdo no Iraque, que acrescentou que os três cidadãos chineses fazem parte dos 120 membros do Estado Islâmico assassinados por tentarem abandonar a organização.

O mesmo responsável indicou que os três cidadãos chineses eram membros do Movimento do Turquistão Oriental, uma organização descrita como terrorista, que segundo a China, pretende a independência de Xinjiang, e que um deles foi executado em setembro, quando tentou fugir para a Turquia.