Um casal chinês conseguiu finalmente encontrar a filha perdida, depois de 24 anos de buscas constantes. O caso aconteceu na cidade de Chengdu, no sudoeste da China, e o encontro entre ambos foi esta terça-feira. 

O caso remonta a 1991, quando os pais da criança, Wang Mingqing e a sua mulher Liu Dengying, estavam no local de trabalho a vender fruta à beira da estrada. Atarefados com o atendimento aos clientes, Wang e Liu perderam a filha de vista e, quando deram conta, já era tarde demais. A menina, chamada Qifeng e com apenas três anos de idade, tinha desaparecido sem deixar rasto. 

Desesperados, os pais usaram todos os meios possíveis para chegar até ao paradeiro da filha. Nos últimos anos, fizeram vários apelos nas redes sociais e anúncios nos jornais, mas nunca tiveram qualquer notícia. Em 2015, o pai decidiu tornar-se taxista para conseguir divulgar a sua história ao maior número de pessoas possível, mas também com a esperança de que um dia a sua filha poderia entrar no seu táxi.

Colocou informações da filha na janela traseira do veículo e uma foto da sua outra filha, uma vez que as parecenças entre ambas eram notórias, e não tinha nenhuma imagem da filha desaparecida.  Ao longo dos anos, a polícia chinesa identificou várias mulheres que poderiam ser Qifeng, mas os testes de ADN deram sempre negativo. 

Anos mais tarde, os pais, que nunca perderam a esperança, decidiram apostar noutro método: puseram a circular na Internet uma retrato feito por um profissional do rosto daquele que poderia ser o da sua filha.  

Foi então que Qifeng, ao olhar para o retrato, ficou surpreendida com as semelhanças consigo mesma e decidiu contactar Wang. Realizaram os testes de ADN e o resultado foi positivo: o casal conseguiu finalmente encontrar a filha perdida há mais de 20 anos. 

Segundo a BBC, os dois encontraram-se esta terça-feira. A filha, que viva noutra cidade, e agora com 27 anos, deslocou-se até Chengdu e abraçou os pais em lágrimas. Relatos da imprensa local dão conta que a filha tinha crescido numa cidade próxima (apenas a 20 quilómetros de distância).

Apesar de esta ser uma história com final feliz, ainda não são conhecidas as causas e as circunstâncias que levaram ao desaparecimento da criança.