A China enviou 160 profissionais de saúde para a Libéria, o país mais atingido pela epidemia de Ébola. Os técnicos já chegaram ao país e vão construir e gerir um centro de tratamento, anunciou a embaixada chinesa em Monróvia.

«Recebemos o nosso primeiro contingente médico, composto por 160 pessoas», no sábado, na capital liberiana, indicou o embaixador da China em Monróvia, Zhang Yue, citado num comunicado enviado à AFP.

Todos são «experientes» e participaram na mobilização contra o vírus da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS), que provocou uma grave crise sanitária mundial em 2003 e fez cerca de 800 mortos, principalmente na Ásia.

Recorde-se que a Libéria levantou na quinta-feira o estado de emergência instaurado em agosto, para lutar contra a epidemia,. A Presidente, Ellen Johnson Sirleaf, anunciou, no entanto, que «o combate não terminou». 

Com mais de metade dos cerca de 5.100 mortos da epidemia, a Libéria é o país mais afetado, mas a propagação do vírus no país diminuiu significativamente no último mês.