Em Acapulco, no México, a água das cheias que invadiu a cidade trouxe os crocodilos para as ruas.

A passagem da tempestade Manuel e do furacão Ingrid pelo México deixou um rasto de destruição. Para além das mortes a lamentar e dos milhares de casas destruídas, a população enfrenta ainda os perigos das pilhagens e dos crocodilos que se passeiam pelas ruas inundadas.

Até ao momento, já há 80 mortes a lamentar no país, com a violência da água e dos ventos que atingem o México nos últimos dias.

Acapulco foi uma das cidades afetadas pela tempestade e pelo furacão. Um deslizamento de terras na quarta-feira deixou 58 pessoas desaparecidas,. Mais de cinco mil pessoas foram retiradas só na quarta-feira e há informação de, pelo menos, 35 mil casas destruídas.

Ao drama da população acresce o dos turistas. Cerca de 55 mil turistas continuam retidos nas estâncias turísticas.