Tem 25 anos, chama-se Star e considera-se a mulher de Charles Manson, o norte-americano de 79 anos condenado a prisão perpétua pelos crimes macabros que chocaram o mundo nos anos 60 e que ficaram conhecidos como os assassinatos Tate-LaBianca. Um estatuto que, segundo a jovem, deverá ser oficializado no futuro.

«Ele já preencheu a primeira parte dos documentos necessários», afirmou a norte-americana à «CNN», confessando que está apaixonada por Manson. «Estou completamente apaixonada por ele e ele por mim. Não sei o que mais dizer», declarou.

Star tinha 16 anos e vivia com os pais no estado norte-americano do Illinois quando descobriu Charles Manson. De acordo com as suas declarações, a jovem ficou atraída pelo psicopata depois de ter conhecido a filosofia ambiental de Manson, em relação ao ar, às árvores, à água e aos animais.

Depois de durante alguns anos ter trocado cartas e telefonemas com Manson, a jovem decidiu mudar-se para Corcoran, uma pequena cidade da Califórnia, perto do estabelecimento prisional onde o criminoso está detido há 25 anos.

Agora, além de falarem todos os dias pelo telefone, Star visita Manson aos fins-de-semana.

«Falamos sobre tudo. Tento ajudá-lo a preencher papéis e coisas assim», explicou.

A prisão impõe limites ao contato físico. Durante os encontros, o casal apenas se pode abraçar no início e no fim dos mesmos. Como Manson está a cumprir pena de prisão perpétua, mesmo que fossem casados oficialmente, as visitas conjugais não seriam permitidas.

Segundo a própria, as pessoas acham que ela é louca.

«Não em interessa o que as outras pessoas pensam. Não faz qualquer diferença. O homem que eu conheço não é aquele que aparece nos livros, filmes e documentários. Ele não é assim. Ele não é manipulador, de todo», justificou.

No quotidiano, Star passa os dias a pintar e a atualizar os sites de Manson.

O seu objetivo é tirar o apaixonado da prisão. A jovem não acredita no envolvimento de Manson nos crimes Tate-LaBianca, em 1969.

Star é completamente leal a Manson. Há dois anos atrás, a norte-americana cravou a marca de um X na testa, como protesto e a pedido do psicopata, depois de este ter sido colocado numa solitária. Esta marca era uma prática comum entre as raparigas que faziam parte da Família Manson, o grupo fundado e liderado pelo norte-americano.

Muitos acreditam que a jovem está a ser manipulada pelo homicida. Mas Star defende o apaixonado e enaltece as qualidades daquele que é considerado um dos assassinos mais perigosos do mundo.

«A única coisa que ele tenta impor nas pessoas é a ideia de plantar árvores e limpar a Terra. Ele é bom para toda a gente», declarou.

Star diz que Manson, que completa 80 anos em Novembro, está de boa saúde e que não pensa no seu futuro depois de ele morrer.

Os crimes Tate-LaBianca

Estávamos em agosto de 1969. Charles Manson tinha fundado e era o líder de um grupo conhecido como a Família Manson.

A 9 de agosto, alguns dos seus seguidores invadiram uma casa alugada pelo realizador Roman Polanski em Los Angeles, na Califórnia, assassinando a atriz e esposa do realizador, Sharon Tate, que estava grávida, e quatro amigos do casal.



De acordo com a polícia, as vítimas foram baleadas, esfaqueadas e espancadas até a morte. Nas paredes havia mensagens escritas com o sangue das vítimas e numa lia-se «Pigs» (Porcos).

Na noite seguinte, o mesmo grupo invadiu a casa de Rosemary e Leno LaBianca e matou o casal, voltando a deixar mensagens com o sangue das vítimas.

Com 37 anos, Manson foi inicalmente condenado à morte, em 1971, mas com as mudanças na legislação, a pena foi alterada, em 1972, para prisão perpétua.