«Eu, o governo e o parlamento estamos preparados para introduzir a lei marcial em todos os territórios da Ucrânia», disse, de acordo com a agência noticiosa Interfax e citada pela Reuters.