"A matança ilegal do leão Cecil fora do Parque Nacional de Hwange, mostrou a necessidade de reforçar ainda mais as regulamentações sobre a caça em todas as áreas que fazem fronteira com o parque", informou a autoridade dos Parques Nacionais do Zimbabué (ZPWMA).

"A caça aos leões, leopardos e elefantes em áreas de fronteira com o Parque Nacional de Hwange é suspensa com efeitos imediatos", acrescenta o comunicado.

O animal, de 13 anos, foi encontrado sem vida no passado dia 1 de julho com a cabeça cortada. Protegido pelos humanos no Parque Nacional de Hwange, acabaria morto pelos mesmos a 800 metros de casa. Um caçador norte-americano, dentista de profissão, mas com uma longa lista de “troféus” de animais de grande porte, matou Cecil com arco e flecha e já manifestou publicamente o arrependimento, dizendo que não conhecia a fama da sua presa.