Foi num local secreto, mas sabe-se que durou duas horas. A chefe da diplomacia da União Europeia encontrou-se com o presidente deposto do Egito durante duas horas, numa tentativa de encontrar saídas para a instabilidade no país.

Catherine Ashton decidiu prolongar a visita por mais um dia depois de se ter reunido com Mohamed Morsi, para além de também ter mantido encontro com o presidente interino, com representantes da Irmandade Muçulmana e de outros partidos islamitas.

Os encontros tiveram lugar perante um clima de enorme tensão no Egito e quando se confirma que morreram 72 militantes islamitas durante confrontos com a polícia, no sábado, no Cairo.

«A nossa posição não se alterou. Estamos prontos a aceitar e a discutir em detalhe qualquer solução para esta crise, mas apenas aquelas que respeitem a legitimidade constitucional. Qualquer iniciativa que vise validar ou aprovar o golpe militar será recusada à partida», afirma Gehad el-Haddad, porta voz da irmandade muçulmana.