O presidente do governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, não vai falar no Senado de Espanha antes da votação, por este órgão, da suspensão da autonomia da região, anunciou hoje um porta-voz do governo catalão.

“O presidente Puigdemont não vai na quinta-feira ao Senado”, disse o porta-voz, precisando que a decisão é uma resposta à posição do Governo espanhol de que a suspensão da autonomia não tem volta atrás.

O Governo espanhol propôs no sábado acionar o artigo 155.º da Constituição espanhola, que implica a destituição do presidente da Catalunha e de todos os membros do seu executivo, a limitação das competências do parlamento regional e a marcação de eleições num prazo de seis meses.

Na altura, Puigdemont assegurou que “todas as propostas de diálogo” apresentadas ao governo central de Mariano Rajoy tiveram “a mesma” resposta: “silêncio e repressão”.

Mais tarde, cerca de 450 mil pessoas saíram à rua em Barcelona em defesa da independência da região.

O presidente do governo da Catalunha, Carles Puigdemont, deixa de ter qualquer poder no sábado, quando o Senado autorizar a suspensão da autonomia da região, afirmou a vice-presidente do Governo de Espanha.