As seis pessoas retratadas na fotografia encontrada no Ground Zero já foram identificadas, estão vivas e bem de saúde.

Elizabeth Stringer Keefe recebeu a fotografia através de um amigo, que vivia em Nova Iorque, e a tinha encontrado no Ground Zero um mês depois dos atentados às Torres Gémeas. A professora assistente ficou com a foto e foi-lhe pedido para fazer alguma coisa com significado com ela, segundo a própria citada pelo site «Mashable».

Keefe e os amigos divulgaram a imagem em várias redes sociais em todos os aniversários do 11 de setembro. Em 2011, quando se assinalaram dez anos sobre a tragégia, a docente publicou a fotografia mensalmente no dia 11 para marcar a data. Mas não conseguiu encontrar o casal.

Este ano, Elizabeth resolveu pedir ajuda à rede de contactos do twitter. Partilhou a fotografia e só na quinta-feira, dia 11 de setembro, a publicação já tinha sido partilhada 40 mil vezes, hoje já duplicou esse valor.





Poucas horas após a primeira partilha, a professora de Massachusetts «descobriu» quem são as pessoas daquela fotografia. Ficou ainda a saber que para além dos noivos também os quatro amigos que aparecem na imagem estão vivos e bem.

Segundo o site «Mashable», na sexta-feira, Keefe recebeu uma mensagem de uma das pessoas da fotografia, Fred Mahe, que agradeceu o empenho e elogiou a mensageira.





A insistência de Keefe é reconhecida por Mahe. Noutra publicação o jovem agradece à professora e considera esta história um exemplo do «melhor da humanidade».





Fred Mahe trabalhava no World Trade Center. «Esta fotografia estava em cima da minha secretária no 77.º andar da torre dois do World Trade Center», disse à «Boston Magazine». Felizmente naquela fatídica manhã, Mahe tinha-se atrasado e ainda não estava no escritório quando o ataque aconteceu. «Estou grato por não ter conseguido chegar ao meu escritório», acrescentou.