Ao longo dos últimos dias, milhões de pessoas têm manifestado o seu contentamento pela legalização do casamento homossexual, nos 50 estados do EUA, através das redes sociais. Utilizadores, celebridades e, até, a Casa Branca, serviram-se destas plataformas para mostrar o seu apoio.

“O nosso país foi fundado na promessa de que todas as pessoas são criadas iguais e hoje avançámos mais um passo para cumprir essa promessa”, afirmou Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, no seu perfil. “Estou tão feliz por todos os meus amigos e toda a gente na nossa comunidade que finalmente podem celebrar o seu amor e ser reconhecidos como casais iguais, perante a lei. Ainda temos de fazer muito para atingir a igualdade total, mas estamos na direção certa”.


Para celebrar o acontecimento, o Facebook criou uma página, “Let’s celebrate Pride”, onde os utilizadores podem sobrepor o arco-íris na foto de perfil. Ao introduzir os termos “gay pride”, “same sex marriage” ou “LGBT” na barra de pesquisa do Google, surge uma linha de bonecos coloridos no topo do ecrã, acompanhada de um coração.

O Twitter registou, até agora, um total de 6 milhões e 200 mil tweets sobre a decisão do Supremo Tribunal. Na redes sociais, são adicionados automaticamente emojis de arco-íris nos tweets com #LoveWins ou #Pride.

 
A Casa Branca também se juntou à manifestação de apoio, publicando no Facebook um vídeo com a seguinte afirmação “América deve estar muito orgulhosa”.

O porta-voz da Apple, Tim Cook, que anunciou ao mundo a sua homossexualidade em 2014, também utilizou a rede social para comentar o sucedido.

 
São agora 22 os países que reconhecem o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo.