O sangue frio valeu a um polícia da esquadra de Leicestershire, no Reino Unido, muito mais do que a condecoração que agora recebeu pelo seu ato de coragem, a certeza de que salvou duas vidas. Daqui a alguns anos, Daniel Pattison pode não se lembrar da data em que recebeu o louvor, no final deste mês de setembro, mas nunca se vai esquecer do dia 23 de abril de 2016.

O agente estava em patrulha quando recebeu uma chamada para um carro desgovernado em plena autoestrada. Quando se aproximou do veículo, os agentes perceberam que ao volante estava uma mulher aparentemente desmaiada. Pior, no banco de trás seguia um bebé, com cerca de 18 meses.

 

 

O polícia disse ao Leicester Mercury que pensou de imediato: “Isto vai acabar com a mulher ou o bebé mortos”. Mas não acabou, graças à ação do agente que “atirou” literalmente o carro patrulha para cima do Peugeot desgovernado, permitindo imobilizar o veículo na berma.

A mulher ao volante, soube-se depois, é diabética e ficou inconsciente durante uma crise.

“Se não tivesse sido pela atitude dos agentes, nem consigo pensar no que podia ter acontecido”, disse, citada pela BBC, embora sem querer revelar a identidade.