A governadora do Estado da Carolina do Sul, EUA, considera que o atirador que matou nove pessoas numa igreja em Charleston deve receber a pena de morte.
 
Numa entrevista ao programa “Today” da NBC, Nikki Haley, disse que o suspeito Dylann Roof cometeu um crime que chocou todo o Estado e que deve receber a pena máxima.
 

“O Estado [da Carolina do Sul] está chocado com a morte daquelas nove pessoas inocentes. Queremos, sem dúvida, que ele receba a pena de morte”.

 
Segundo a agência Reuters, a governadora pediu, também, que o caso seja julgado a nível estatal e não federal.
 
Entretanto, Dylann Roof já confessou que foi o autor dos disparos que mataram as nove pessoas, e admitiu que o seu objetivo era começar uma guerra racial, reporta a CNN.
 
A polícia também já avançou que o jovem de 21 anos está acusado de nove crimes de homicídio e posse de arma.
 
Dylann Roof, que é caucasiano, entrou numa igreja frequentada maioritariamente pela comunidade afro-americana e abriu fogo com uma pistola de calibre 45. Oito pessoas morreram no local, e duas outras foram transportadas para o hospital, onde uma acabou por não resistir.