O cão de Nina Pham, a enfermeira norte-americana que ficou infetada com o vírus do ébola após tratar de um paciente liberiano infetado, «está bem» e não padece do vírus, segundo as últimas análises realizadas ao animal.

A notícia foi partilhada pelo hospital veterinário onde Bentley está de quarentena.




Nina Pahm foi diagnosticada com ébola a 11 de outubro, consequência da exposição ao vírus no hospital de Dallas onde trabalha. Enquanto a dona está a ser tratada numa clínica de Maryland, o Cavalier King Charles Spaniel foi colocado de quarentena por precaução.

O centro norte-americano que monitoriza doenças contagiosas entende que é muito difícil que cães e gatos apanhem a doença, mas, ainda assim, o animal vai continuar de quarentena e ser alvo de mais análises.

Já em Espanha, o cão de Teresa Romero, a auxiliar de enfermagem infetada com o vírus, foi abatido, o que gerou grande contestação social.