O Papa Francisco não terá ficado «muito contente» com as imagens da comida de luxo servida a empresários, membros da igreja e jornalistas italianos no telhado da Câmara dos Assuntos Económicos do Vaticano, após a cerimónia da canonização de João XXIII e João Paulo II.

Segundo o «El Mundo», o Santo Padre não terá gostado da apresentação de uma reportagem do semanário «L¿Espresso», a publicar amanhã, onde se veem cerca de 150 pessoas numa festa com um buffet luxuoso, que custou 18 mil euros a patrocinadores privados, realizada no telhado daquele edifício com vista para a Praça de S. Pedro, depois de terminada a cerimónia da canonização.

«Não posso revelar o que ele disse [o Papa]. Posso dizer que não ficou muito contente, por assim dizer, mas posso garantir que este tipo de episódios não voltarão a acontecer», afirmou o cardeal Giuseppe Versaldi, presidente da Câmara dos Assuntos Económicos a um programa da «Italia1».

O cardeal afirmou que desconhecia que iria acontecer uma festa no terraço da Câmara e que apenas lhe pediram permissão para utilizar o local para assistir à cerimónia que tornou os ex-Papas em Santos.

Segundo o «L¿Espresso», o Papa também não gostou que as hóstias servidas no local, durante a comunhão da cerimónia, estivessem num recipiente próprio da empresa de catering.

O que terá, realmente, incomodado o Santo Padre foi que se celebrou uma festa de luxo mesmo "ao lado" de milhares de pessoas que dormiram ao ar livre para assistir à cerimónia.