A ministra da Defesa espanhola enviou um pelotão do Exército para as Ilhas Canárias, depois da terra ter tremido esta quarta-feira de madrugada. Desta vez, o epicentro foi muito à superfície.

Às 3:59 foi sentido um sismo de magnitude 2.3 na escala de Richter a apenas dois quilómetros de profundidade em El Hierro. Até às 8:30, as autoridades registaram 22 movimentos sísmicos, que oscilaram entre 1,6 e 3,3 na escala de Richter, segundo dados a que o El País teve acesso.

Até ao momento, já foram retiradas 53 pessoas de El Hierro e o túnel que liga as duas principais cidades da ilha está cortada, mas a protecção civil tem um plano para evacuar a ilha: quatro mil pessoas em quatro horas. Para isso, já estabeleceu contactos com as companhias aéreas e marítimas que operam na ilha.

Há muito que as campainhas de alarme soaram no Instituto Geográfico Nacional. Desde Julho já houve mais de oito mil sismos, mas apenas 15 foram sentidos pela população que ronda da ilha. Já na sexta-feira, as Canárias lançaram o alerta para o aumento da actividade vulcânica.

Em El Hierro vivem cerca de dez mil pessoas que assistem resignadas. Afinal, não se pode mudar a natureza.