O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, falou publicamente na televisão sobre uma crise de incontinência que sofreu durante um evento de campanha para as eleições presidenciais, em que pretende ser reeleito.

Imagens de um ato de campanha que mostram o presidente com as calças molhadas na zona genital foram divulgadas nas redes sociais e levantaram questões sobre as suas condições para enfrentar um novo mandato presidencial. Juan Manuel Santos justificou que o que aconteceu foi um «acidente de incontinência, produto de uma operação que fiz há um ano e meio».

Juan Manuel Santos foi submetido a uma cirurgia para tratar um cancro na próstata.

O presidente da Colômbia acusa ainda os opositores de utilizar um «desafortunado episódio recente» para atacar, «sem misericórdia, minha imagem como pessoa e minha dignidade como presidente». «Começou a circular na Internet um vídeo que torna evidente o que se que passou, com comentários não apenas ofensivos, mas, muitas vezes, cruéis, diante de um tipo de câncer que pode afetar qualquer ser humano», acrescentou.

«Há muito tempo que não me acontecia e o meu médico disse que isso é perfeitamente normal e que meu processo de recuperação vai bem. Apenas ocorreu esse episódio, que claramente foi muito incómodo para mim e para minha família», disse ainda.



Juan Manuel Santos garantiu ter plenas capacidades para governar por mais quatro anos: «agora insinuam que estou mal de saúde e que, por conseguinte, não estou preparado para ocupar a presidência por mais quatro anos. Quero deixar claro que isso não é correto. O meu estado de saúde é ótimo. O que ocorreu foi uma sequela inofensiva de uma cirurgia».