As autoridades suecas anunciaram, este domingo, a detenção de uma segunda pessoa suspeita de estar implicada no atentado de sexta-feira em Estocolmo. Um camião investiu sobre a multidão, numa das ruas mais movimentadas da cidade, fazendo quatro mortos e 15 feridos. 

Também este domingo, as autoridades anunciaram, em conferência de imprensa, a identificação de todas as quatro vítimas mortais. São dois suecos, um britânico e um belga. 

Na mesma conferência de imprensa, a polícia adiantou novas informações sobre o primeiro suspeito detido. Trata-se de um uzebeque a quem tinha sido negado pedido de asilo e tinha sido indicado para deportação. De acordo com a polícia de Estocolmo, o homem de 39 anos viu o pedido de asilo negado em junho de 2016, mas as autoridades não conseguiram encontra-lo para o deportarem. 

Sabemos que era simpatizante de organizações extremistas", adianta Jonas Hysing, da polícia nacional sueca. 

A polícia diz que fez mais de 500 interrogatórios desde o ataque de sexta-feira. 

Entre os 15 feridos, 10 permanecem hospitalizados em três hospitais da cidade, incluindo uma criança. Quatro destes feridos estão em estado considerado grave.