Foi um dia caótico em Calais, no norte de França, com o bloqueio do acesso do Eurotúnel, que liga o continente ao Reino Unido, protestos, polícia de choque e dezenas de migrantes a tentar entrar nos muitos camiões que aguardavam na estrada.

O pretexto foi a greve de cerca de 400 trabalhadores da empresa MyFerryLink, que incendiaram pneus e cortaram todos os acessos ao Canal da Mancha e ao porto de Calais. Foram canceladas todas as ligações de barco, assim como a travessia de comboio pelo túnel.

As autoridades viram-se forçadas a deslocar para o local o corpo de intervenção, que teve ainda de enfrentar uma vaga de migrantes, que tentavam entrar nos camiões, com o objetivo de chegar a Inglaterra.

Muitos deles foram detidos e os que conseguiram fugir regressaram ao acampamento improvisado que continua instalado junto ao porto de Calais.