Uma investigação que envolveu 15 mil britânicos chegou à conclusão que os indivíduos entre os 16 e os 44 anos estão a perder o interesse em sexo.

O estudo, publicado na «The Lancet» e conduzido por uma universidade de Londres, concluiu que as preocupações com a economia e as redes sociais estão a levar os britânicos a praticar atos sexuais menos de cinco vezes por mês.

A investigação revelou que os homens têm sexo 4,9 vezes por mês, enquanto que as mulheres se ficam pelas 4,8. Estes números revelam uma quebra das edições anteriores do estudo, que confirmava mais de seis vezes por mês.

A falta de interesse sexual é uma justificação recorrente, mesmo nos homens. 15% dos britânicos enfrentam perda de libido.

«As pessoas estão preocupadas com os seus empregos, com o dinheiro», disse Cath Mercer, uma das investigadoras, à BBC. «[As pessoas] não estão com disposição para sexo. Mas também pensamos que as tecnologias modernas estão por trás desta tendência».

«As pessoas têm tablets e smartphones, que levam para o quarto, para usar o Twitter, o Facebook e responder a e-mails», continuou. Mercer também disse que alguns casais entre os 16 e 44 anos podem estar a substituir o sexo por pornografia online.

O único valor que aumentou desde a última pesquisa foi a taxa de adolescentes que têm a primeira relação sexual antes dos 16 anos: de 29 para 31%.

A investigação concluiu que apenas um em cada dez britânicos estava preocupado com a sua vida sexual.

O estudo também confirmou que uma em cada dez mulheres e um em cada 70 homens já praticaram sexo contra a sua vontade, mas apenas 13% das mulheres e 8% dos homens informaram a polícia do acontecimento.