Os ministros dos Negócios Estrangeiros dos seis países fundadores da União Europeia reúnem-se este sábado em Berlim. A Alemanha, França, Holanda, Itália, Bélgica e Luxemburgo reúnem-se para debater as consequências da saída do Reino Unido da UE.

Na reunião, presidida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Frank-Walter Steinmeier, participam os MNE francês, Jean-Marc Ayrault, holandês, Bert Koenders, italiano, Paolo Gentilon, belga, Didier Reynders, e luxemburguês, Jean Asselborn, em representação dos seis países que a 09 de maio de 1957 assinaram o Tratado de Roma, que deu origem ao que é hoje a União Europeia (UE).

O Reino Unido, cujos eleitores escolheram na quinta-feira sair da UE, a Irlanda e a Dinamarca foram os países do primeiro alargamento da Comunidade Económica Europeia, a 01 de janeiro de 1973.

Recorde-se que os britânicos decidiram na passada quinta-feira que o país iria sair da UE. O Brexit conquistou 51,9% dos votos no referendo. A votação teve uma taxa de participação de 72,2%.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou já a sua demissão com efeitos em outubro.

As principais bolsas europeias abriram hoje em forte queda, com a bolsa de Londres a descer perto dos 8%, mantendo-se ao início da tarde com perdas entre os 4% e os 10%.

Numa primeira reação, os presidentes das instituições europeias (Comissão, Conselho, Parlamento Europeu e da presidência rotativa da UE) defenderam um 'divórcio' o mais rapidamente possível, "por muito doloroso que seja o processo".