O ministro do Planeamento do Brasil, Romero Jucá, terá dito, numa gravação oculta, ao ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que a mudança no Governo possibilitaria um pacto para travar a Operação "Lava Jato", divulgou a imprensa brasileira.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, em conversas ocorridas em março passado, o ministro do Planeamento, senador licenciado Romero Jucá (Partido do Movimento Democrático Brasileiro/PMDB), sugeriu ao ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que uma "mudança" no Governo Federal resultaria num pacto para "estancar a sangria" representada pela Operação "Lava Jato", em que ambos são investigados.

A Operação da Polícia Federal (PF), investiga a corrupção em empresas públicas, nomeadamente a Petrobras, que envolve políticos e empresários, entre outros.

Esta notícia surge no dia em que a Polícia Federal brasileira está a cumprir mandados referentes à 29.ª fase da Operação "Lava Jato", em Brasília, Recife e Rio de Janeiro, de acordo com a imprensa brasileira.

Segundo o G1, ao todo, foram expedidos seis mandados de busca e apreensão, um de prisão preventiva e dois mandados de prisão temporária.